quinta-feira, 25 de junho de 2009

Teatro Rondon Pacheco recebe Orquestra de Mato Grosso

FOTO: DIVULGAÇÃO

Dia 3 de julho, a cidade de Uberlândia recebe um dos mais atuantes e comentados grupos eruditos da atualidade, a Orquestra do Estado de Mato Grosso, que realiza única apresentação no Teatro Rondon Pacheco [Rua Santos Dumont, 517 , Centro], às 20 horas, sob a regência do jovem maestro Leandro Carvalho.

Com entrada franca, a apresentação na cidade mineira faz parte da Temporada 2009 de 'Concertos Populares', série especial já realizada em dezenas de municípios brasileiros nos últimos três anos, sempre com o patrocínio da ADM World. "Nosso empenho é em descentralizar e democratizar o acesso a bens culturais, oferecendo à comunidade um concerto gratuito, de alto nível técnico e artístico", explica o maestro Leandro Carvalho. 

Em cinco anos de existência, a Orquestra do Estado de Mato Grosso conquistou milhares de brasileiros, apresentando-se em praças públicas, feiras populares e importantes teatros brasileiros. Só em 2008, o grupo esteve em 22 estados brasileiros e realizou mais de 150 apresentações em todas as regiões do país. Cerca de duzentas mil pessoas, de 95 cidades, do Rio Grande do Sul ao Acre, do Amazonas a Bahia, aplaudiram os concertos da OEMT, que conquistou uma importante posição no universo da música erudita no Brasil. 

Buscando a democratização dos bens culturais e o empenho em formar novas platéias, a OEMT apresenta um concerto interativo, em que o maestro fala sobre os compositores que constituem o repertório e exibe a singularidade instrumental que compõe a Orquestra, apresentando o naipe de violas de cocho e outros instrumentos regional que integram o grupo como o ganzá, a bruaca e o mocho. "Villa-Lobos foi o primeiro a incluir instrumentos indígenas em uma orquestra. Ele não tinha medo de ousar, ele não tinha medo de valorizar a cultura brasileira. E é esse caminho seguimos, aproximando a viola de cocho à música orquestral e seu instrumental clássico. É o diálogo entre o universo da música erudita e a música popular que a Orquestra segue promovendo", detalha o maestro Leandro Carvalho. 

O repertório 
 
Os concertos da Orquestra do Estado de Mato Grosso são quase sempre divididos em duas partes: a primeira dedicada a algum compositor clássico, com peças um pouco mais complexas, que exigem concentração especial por parte dos instrumentistas e do público. Num segundo momento, o maestro convida as violas de cocho e os percussionistas para entrarem no palco e apresenta um repertório voltado para canções mais populares, comumente dedicadas a compositores brasileiros e sul-americanos. 

Para o público de Uberlândia, a OEMT preparou um repertório extenso e envolvente, composto por Igor Stravinsky [Concerto em Ré para orquestra de cordas (Basel Concerto)]; Astor Piazzolla [La muerte del Angel e Libertango]; Hermínio Gimenez [Lejania e Mi oración azul]; José Asunción Flores [Choli]; Pedro Elías Gutiérrez [Alma Llanera]; Tote Garcia [Cadê Totinho e Rabello no Coxipó]; José Agnello Ribeiro [Quilombinho]; Roberto Corrêa [Mazurca Pantaneira & Araponga Isprivitada]; Italo Perón [Cuiabá 2005]. 

A Trajetória da Orquestra 

Em 2005, ano de criação da orquestra, o grupo erudito realizou 21 concertos em Cuiabá e Chapada dos Guimarães, para um público aproximado de 10 mil expectadores. A Temporada 2005 lançou pela primeira vez em Mato Grosso uma programação pré-definida de concertos, locais, datas e repertórios a serem realizados durante aquele ano, assim como fazem as mais importantes orquestras pelo mundo. Até hoje, a programação da Orquestra do Estado de Mato Grosso é definida com antecedência, de modo que o público possa saber de detalhes sobre todos os concertos que ocorrerão durante o ano e se organizar para poder assisti-los. 

No ano seguinte, 2006, novos músicos profissionais vieram de várias partes do mundo para integrar este grupo, que fez a mais importante apresentação daquele ano no VI Festival Internacional de Música Renascentista e Barroca Americana "Misiones de Chiquitos", na Bolívia, considerado o maior festival de música barroca do mundo. No mesmo ano, a Orquestra percorreu mais de 5 mil km no Estado de Mato Grosso, apresentou-se em oito municípios mato-grossense, seguindo uma linha especial de concertos voltados para a formação de novas platéias através de concertos gratuitos, ao ar livre e em locais de fácil acesso. Alcançou uma média de três mil pessoas por concerto, cerca de 100 mil expectadores durante a Temporada de 2006, que realizou 80 concertos, entre oficiais, populares e didáticos. 

Em 2007, o número de municípios mato-grossenses visitados pela Orquestra saltou para 14, através da série de "Concertos Populares", graças a novos patrocínios privados que possibilitaram que a Orquestra ampliasse sua programação e o público atingido. Ao todo, em 2007, 102 concertos foram realizados, entre oficiais, populares e didáticos, para um público de 150 mil expectadores, aquele ano. 

Entre os dez mais da década 

Em 2008, o diretor artístico e regente principal da Orquestra do Estado de Mato Grosso, maestro Leandro Carvalho, foi apontado como um dos dez artistas de maior importância na música clássica da década. O responsável pela indicação foi o Anuário Viva Música 2008, periódico editado anualmente pela revista de mesmo nome, especializado em música clássica, considerado a mais importante publicação do setor. 

Aos 32 anos, Leandro é o mais jovem músico na lista que conta com artistas de carreiras já consolidadas e bem conhecidas do público e da mídia, e o único a residir e a desenvolver suas atividades fora dos grandes centros. Expandindo as fronteiras da música erudita no interior do país, num Estado mais conhecido pela produção agropecuária e pelos problemas ambientais, o trabalho do maestro a frente da Orquestra do Estado de Mato Grosso contribuiu decididamente para esta indicação. 

O que faz da sua experiência algo único no país é a soma de empreendedorismo e sensibilidade na formação de um grupo de músicos profissionais de diversas origens, dispostos a investir no projeto da consolidação de uma Orquestra com alto nível técnico e artístico, comprometida com a transformação social e a valorização das referências culturais da região. 

Na lista dos dez artistas de maior importância na música clássica da década estão nomes como os dos maestros Roberto Minczuk, Isaac Karabtchevsky e John Neschling, ex- regente da Orquestra Sinfônica de São Paulo, a maior do país. Também presentes, Alex Klein, ganhador de um prêmio Grammy em 2002, o pianista Nelson Freire e o violoncelista Antonio Meneses, considerado um dos maiores do mundo. 

Realização 

A Temporada 2009 da Orquestra do Estado é uma realização do Governo do Estado de Mato Grosso, através da Secretaria de Estado de Cultura, e tem como patrocinadores as empresas Votorantim, Bimetal, Nortox, ADM World e Lei Federal de Incentivo à Cultura/ Ministério da Cultura. Os apoiadores culturais são as empresas Localiza, Fisk Inglês e Espanhol, Amazon Hotel, Soul Propaganda e Sesc Mato Grosso. 

Serviço 
O Quê: Orquestra do Estado de Mato Grosso em Uberlândia – Minas Gerais 
Quando: Sexta-feira, 03 de junho de 2009, às 20h 
Onde: Teatro Rondon Pacheco 
Quanto: Entrada franca 
 
Protásios de Morais
Comunicação
Orquestra do Estado de Mato Grosso



--
farolcomunitario | rede web de informação e cultura