domingo, 31 de julho de 2016

Alteração em obra na zona sul de Uberlândia demonstra falta de planejamento dos órgãos competentes

Não será mais construída a passagem inferior prevista no cruzamento entre o Anel Viário Sul e a Avenida Lidormira Borges do Nascimento, na zona sul de Uberlândia. De acordo com o Departamento de Estradas de Rodagem (DER) de Minas Gerais a mudança de projeto, prevê agora a construção de uma rotatória. Essa é uma solução conveniente aos órgãos envolvidos. Trata-se de uma falta de responsabilidade das autoridades competentes, tomando atitudes que trarão prejuízos às atividades comerciais, econômicas, de serviços e aos que moram naquela região.

Reprodução / Google Mapas
O anel viário não passará mais por baixo da via, que, atualmente, está fechada na altura do bairro Shopping Park, na zona sul, onde o trânsito é desviado. A obra foi retomada no início de junho, há dois meses, após oito meses parada. A rotatória prevista no novo projeto é similar a outra que existe na Avenida Nicomedes Alves dos Santos, também no encontro com o contorno sul do anel viário.

A solução encontrada é motivada pela necessidade de redução de custos. A CDL Uberlândia é veementemente contra essa ação. Trata-se de um atraso, uma atitude de mau gosto que prejudica a cidade como um todo. O planejamento da zona sul é ineficiente e não apresenta o devido cuidado e organização. Aquela região possui um tráfego pesado de veículos, motos, moradores, além dos locais destinados à realização de festas e eventos que movimentam ainda mais aquela área.

A CDL Uberlândia enviou ofício aos órgãos competentes para demonstrar a nossa insatisfação com essa atitude. Foram encaminhados documentos aos deputados estaduais Elismar Prado (sem partido), Luiz Humberto Carneiro (PSDB), Felipe Attiê (PTB), Arnaldo Silva Jr. (PR) e Leonídio Bouças (PMDB). A Secretaria de Estado de Transportes e Obras Públicas de Minas Gerais, o DER e o governador de Minas Fernando Pimentel (PT) também receberam o documento para que providências sejam tomadas. Queremos externar o nosso descontentamento por essa falta de planejamento em uma obra tão importante e que poderia resolver os problemas daquela região.

A rotatória é apenas uma solução paliativa. O que deveria ser feito é uma solução definitiva, construindo a passagem inferior, conforme apontou o projeto inicial. Não podemos e não iremos concordar com uma decisão arbitrária e tendenciosa. Problemas no trânsito serão acentuados e as mudanças acontecem sem a devida consulta aos moradores e órgãos competentes.

É preciso que haja uma ação judicial coletiva contra a mudança do projeto. Essa obra desvalorizará os imóveis, comprometendo o fluxo e colocando em risco a vida das milhares de pessoas que transitam por aquela região.

Cícero Heraldo Novaes
Presidente da CDL Uberlândia

com Aliteia Milagre/Serifa