segunda-feira, 16 de abril de 2012

Hospital do Câncer abre temporariamente novo turno

Objetivo é  garantir atendimento a pacientes em tratamento de radioterapia

Na última semana, o Hospital do Câncer em Uberlândia abriu um novo turno de atendimento na Radioterapia, para garantir a continuidade do tratamento dos pacientes. O novo horário, das 19h às 22h, acolhe no Acelerador Linear os pacientes que estão sendo transferidos do atendimento no aparelho de Cobalto, que teve o uso suspenso devido ao rendimento da sua fonte, conforme orientação da Comissão Nacional de Energia Nuclear. O tratamento dos pacientes não será prejudicado, e até o final dessa semana todos estarão em atendimento no Acelerador Linear.

Representantes do Hospital do Câncer já solicitaram uma audiência junto ao Ministério Público para discutir a situação, que pode causar um aumento da fila de espera para o tratamento de radioterapia. Segundo o médico Eurípedes Barra, chefe do setor de radioterapia, a situação confirma a necessidade dos novos investimentos em equipamentos e só será resolvida definitivamente com a instalação do novo acelerador linear, adquirido pelo Grupo Luta pela Vida em abril de 2011, que em breve chega ao Brasil e deve entrar em funcionamento no segundo semestre de 2012. Para a aquisição do equipamento, o Grupo Luta pela Vida investiu R$ 1,7 milhão, além de mais R$ 600 mil na construção das instalações físicas. 

O novo acelerador linear coloca o Hospital do Câncer  em Uberlândia entre os centros de referência do país quando o assunto é radioterapia pública. "O aparelho está habilitado para tratamento com tecnologia avançada, o que proporciona melhores índices de cura. Há ainda a emissão de energia com três intensidades para tratar tumores superficiais, medianos e profundos, além da energia de elétrons para o tratamento de lesões de grandes extensões na pele", explica o médico Eurípedes Barra.

Referência em Uberlândia e outras 59 cidades da região do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba, o Hospital do Câncer atende cerca de 1.700 pacientes por mês, com o registro de cinco novos casos por dia. Diante dos números cada vez mais crescentes, o Grupo Luta Pela Vida, única ONG responsável pela construção e manutenção do Hospital, tem trabalhado constantemente na busca de soluções que garantam atendimento de qualidade aos pacientes, investindo sempre na melhoria das instalações e ampliação dos serviços ambulatoriais em quimioterapia, radioterapia, ambulatório da dor, ambulatório de especialidades afins, como também pelo aumento do número de recursos humanos.

via Silla Silva | G.A.
--
INFORMAÇÃO | CULTURA | SERVIÇO