terça-feira, 3 de janeiro de 2012

População pode ajudar a eliminar o mosquito da dengue no período chuvoso

Não deixar no quintal objetos que acumulem água. Esta é a principal recomendação feita pelo Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) neste verão. O ano começou com chuvas intensas e muito calor, fatores que contribuem para a proliferação do mosquito Aedes aegypti. O inseto é um dos principais transmissores da dengue e se reproduz em qualquer ambiente onde exista água parada. Por isso, é importante que a população faça sua parte e elimine da garagem, varanda, sacada ou terraço qualquer tipo de artefato que possa ser um possível criadouro do vetor da doença.

Para José Humberto Arruda, coordenador do Programa de Controle e Combate à Dengue, a população influencia de modo determinante no aparecimento de focos, mas também tem total envolvimento no extermínio dos mosquitos.

"Desde 2005, a Prefeitura de Uberlândia tem desenvolvido um trabalho preventivo e permanente para controlar a proliferação do Aedes. Só no ano passado, nossos 480 agentes realizaram mais de 1,2 milhão de ações de vigilância em todos os bairros do município. Uma iniciativa que trouxe ótimos resultados, como a redução de 66% dos casos confirmados da doença, assim como um baixo índice de proliferação na cidade. A comunidade tem se engajado, mas muita gente ainda precisa se conscientizar e fazer parte deste enfrentamento de modo efetivo", explicou.

Ainda de acordo com o coordenador, o Programa contempla visitas comerciais, domiciliares e a ferros-velhos, assim como a vedação de caixas d'água, recolhimento de pneus, inserção de peixes que se alimentam das larvas do inseto em tanques de decantação e projetos de educação em saúde em escolas e empresas. Ainda assim, a reposição rápida de itens que acumulam água tem sido observada desde o final de 2011.

 "Os agentes instruem e pedem que fogões, sofás, latas e garrafas, por exemplo, sejam descartados e não fiquem no quintal. Os moradores retiram tudo, mas, se esquecem e logo no dia seguinte voltam a acumular objetos que podem ser possíveis criadouros. Daí a importância da conscientização total da comunidade. Temos contado com a colaboração de todos e pedido que realizem medidas simples para acabar com a dengue em Uberlândia", apontou José Humberto Arruda.

Outras atitudes contribuem para controlar a proliferação do Aedes Aegypti. Limpar os pratinhos de plantas e lavar os bebedouros de animais são apenas algumas das ações que contemplam o trabalho de combate ao mosquito.

Confira as dicas do CCZ e continue a ser parceiro da administração municipal na luta contra a dengue 

Coloque areia nos pratinhos de vasos de plantas;

Retire água das bandejas externas da geladeira e ar-condicionado;

Retire do quintal outros possíveis criadouros que podem acumular água;

Lave sempre (com esponja e sabão) o bebedouro dos cães, gatos ou outros animais de estimação;

Guarde garrafas de boca para baixo;

 Evite cultivar bromélias ou plantas que possam acumular água;

· Se for viajar nestas férias, deixe alguém responsável pelas plantas, bebedouros de animais e vasos sanitários. É necessário acionar a descarga e as torneiras para a circulação de água;

·Se a viagem for longa, acione o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) pelo telefone (34) 3213-1470. Agentes do Programa de Combate à Dengue farão o tratamento antes do imóvel ser fechado. O combate tem 40 dias de cobertura. E quando retornar da viagem, informe à equipe, que irá ao local para reforçar o tratamento;

·Se tiver piscina em casa, tampe-a com uma lona e faça sempre o tratamento e limpeza da área.

Para obter mais informações, solicitar visitas, recolhimento de objetos, vedação de caixas d'água ou outros serviços pode ligar para o Disque-Dengue: 3213-1470.

via Secom PMU
-- 
FarolCom | Coletivo de Imprensa
INFORMAÇÃO | CULTURA | SERVIÇO