quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Fogos de artifício podem causar mutilações

Saiba como não correr o risco de ter as mãos ou dedos amputados. Médico dá dicas de como se precaver

Seja na praia, no clube ou até mesmo na fazenda, centenas de pessoas se reúnem para ver a maravilha das cores que invadem os céus, num cintilar iluminado que deixa qualquer um boquiaberto e muitas vezes emocionado.  É nesta época, de muita alegria, que um simples descuido com os fogos pode se transformar em uma verdadeira tragédia.

O maior índice de acidentes com fogos de artifício nas mãos ocorre nas festas de fim de ano. Uma em cada dez pessoas que mexe com esse tipo de material explosivo, segundo a Associação Brasileira de Cirurgia da Mão, tem membros amputados, principalmente dedos. Além de provocar queimaduras, quando explodem, os fogos podem causar mutilações, lesões nos olhos e até surdez.

No auge da festa e da empolgação, as pessoas não se atentam para alguns pequenos cuidados que podem evitar consequencias que muitas vezes podem se tornar irreversíveis.

 

Eventualidades

Contudo, mesmo com todos os cuidados tomados, é preciso estar preparado para as eventualidades indesejadas. O ortopedista Celso Santos, especialista em cirurgia de mão do Hospital Orthomed Center, conhece bem os perigos desta prática e orienta como proceder com os primeiros socorros antes mesmo do atendimento médico. "Por mais que o certo pareça ser furar as bolhas, nunca faça isso, pois elas servem para proteger a área queimada. Não tente retirar as roupas grudadas nos ferimentos, nem os fragmentos de objetos que podem estar na pele e cubra a queimadura com um pano limpo e umedecido em água filtrada ou soro fisiológico", alerta.

Além disso, o ortopedista lembra que existem diferentes tipos de queimaduras, mas que precisam ser tratadas com o mesmo cuidado. As de 1° grau atingem a camada superficial da pele, provocam dor e deixam a pele avermelhada. As de 2° grau são mais graves e atinge a segunda camada da pele, provocando fortes dores, vermelhidão e faz surgir algumas bolhas.

Já as de 3° grau são mais intensas e podem alcançar os músculos e ossos. "Neste caso, a vítima não sente dores e há risco de infecção e morte quando mais de 68% do corpo é atingido", explica. "Por isso é preciso salientar que a cura rápida para quem sofreu queimaduras depende de um bom primeiro atendimento", enfatiza o Dr. Santos.

 

Outras dicas

·         Não use receitas milagrosas, como óleo, pomadas, pó de café, manteiga ou pasta de dente, porque certos elementos aumentam as chances de infecção no local machucado;

·         Assim que a pessoa tiver sido queimada, retire todos os objetos que podem sufocá-la (pulseira, brincos, anéis, relógios), porque logo após a queimadura, acontece um inchaço;

·         E não se esqueça que não existe ninguém melhor do que um médico para tratar a pessoa machucada;

·         Leve-a imediatamente ao centro hospitalar para que possa receber o atendimento ideal.

 

Anderson Silva | Serifa

-- 
farolcomunitario | rede web de informação e cultura
coletivo de imprensa