quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Abastecimento de água entra na 3ª etapa da automação

Um novo projeto de engenharia destinado ao uso de equipamentos automáticos no abastecimento de água de Uberlândia foi concluído hoje. Além de detalhar qual será e como será implantada a automação, o estudo prevê suas interligações ao sistema de controle utilizado pelo Departamento Municipal de Água e Esgoto (Dmae) para produzir e distribuir água tratada.

            O projeto corresponde a automação das unidades de bombeamento atual e futuro da captação de água no ribeirão Bom Jardim, das duas estações de tratamento de água e dos reservatórios Ceasa, Alvorada, São Jorge, Custódio Pereira, Santo Inácio, Canaã, Centro, Luizote de Freitas, CDI e Marta Helena, dando início à 3ª etapa de investimentos do Dmae em novas tecnologias.

            "O Dmae investe neste projeto executivo para continuar garantindo qualidade e eficiência ao sistema de abastecimento", ressaltou o diretor-geral Epaminondas Honorato Mendes. Segundo ele, a automação permitirá uma supervisão mais refinada sobre o fornecimento de água para a população, sendo importante no combate às perdas de água.

            Atualmente, o Dmae possui 13 locais remotos controlados por uma central de computadores. Pelo monitor é possível acompanhar as condições operacionais e saber, por exemplo, se houve problemas na captação da água ou se o volume de água reservada está próximo ao limite.

Neste trabalho, os técnicos do Dmae usam uma tecnologia conhecida por telemetria que faz o monitoramento de dados como vazão, nível e pressão da água que vai abastecer a cidade. A dosagem do cloro e do flúor que a água precisa durante o seu tratamento também é controlada, instantaneamente, com o auxílio da telemetria e de bombas automáticas.   

 

 

Ruth Rossi | Secom PMU

-- 
farolcomunitario | rede web de informação e cultura
coletivo de imprensa