quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Dia Nacional de Combate ao Estresse

Hospital promove série de atividades para lembrar a data 

 

Há quatro anos a data de 23 de setembro é lembrada como o Dia Nacional de Combate ao Estresse. Em setembro de 2008, 70% da população economicamente ativa padecia desse "mal".

 

"Estresse, para que se entenda melhor, é um desequilíbrio funcional do organismo ocasionado pelo estilo de vida atual da maioria das pessoas", afirma a nutricionista do Complexo Hospitalar, Ludmilla Milkem.

 

Para saber de fato se você vive ou está com estresse, veja quais são os principais sintomas:

 

  • Sinais de cansaço;
  • Dor na coluna;
  • Dor de cabeça;
  • Sentimento de medo e agressividade constantes;
  • Diminuição da produtividade e eficiência;
  • Perda de memória;
  • Aceleração do batimento cardíaco;
  • Irritação, entre outros.

 

O uso da palavra "estresse" já caiu no cotidiano das pessoas e a maioria pensa que está estressada. Há que saber que existem os sintomas que o identificam de fato para a busca de tratamento adequado. Não é uma simples irritabilidade ou impaciência que podem ser confundidas com estresse como a maioria das pessoas costuma fazer.

 

Estresse é uma enfermidade, e como tal, deve ser tratada, por isso a importância de seu diagnóstico caso se verifique uma frequência dos sintomas acima. Ao ser diagnosticada, a pessoa tem que cuidar do organismo como um todo, por isso, o controle e tratamentos devidos são tão importantes.

 

O cuidado com a alimentação é uma das maneiras que podem ajudar a pessoa a ter controle sobre o estresse e uma de suas formas de tratamento. "Sabe-se que o estresse produz inúmeros radicais livres responsáveis em lesar as células do corpo e, com isso, trazer inúmeros prejuízos. Há, porém, alimentos que auxiliam no combate à ação desses radicais (são substâncias denominadas antioxidantes). Uma alimentação saudável que contemple o consumo de frutas, verduras, legumes e leguminosas em abundância e que são ricos também em vitaminas e minerais é um bom começo. O uso de cereais (preferência aos integrais) e proteínas de boa qualidade, assim como carnes magras e grelhadas ou assadas, laticínios na versão desnatada e queijo branco também são excelentes opções", diz Ludmilla Milkem.

 

A nutricionista ainda recomenda quais tipos de alimentos devem ser evitados: açúcar, alimentos gordurosos (bolos industrializados, biscoitos recheados, sorvetes, hambúrgueres, pães doces, massas folhadas, cafeína (café, chá preto, chá mate entre outros).

 

Acredite ou não, estresse também é sinônimo de problemas na pele. "Existem dermatoses em que os fatores emocionais atuam no desencadeamento e na evolução. Há uma concepção da relação entre corpo, mente e pele", diz a dermatologista do Complexo Hospitalar Santa Genoveva, Ana Carolina Menezes.

 

Entre os problemas mais ocorrentes estão: "Dermatoses com psoríase, alopecia areata, vitiligo, aftose, herpes simples, eczema atópico, desidrose, urticária, hiperidrose, dermatite seborréica, rubor facial, rosácea, acne vulgar e líquen plano", explica a médica.

 

Pensando no bem-estar de seus colaboradores e em conscientizá-los sobre a questão do estresse, o Complexo Hospitalar Santa Genoveva promove dois dias de atividades especiais.

 

Hoje, no Dia Nacional de Combate ao estresse, das 14h às 17h, no quiosque do hospital, ocorrem demonstrações de Pilates, alongamento e dicas de atividades físicas que auxiliam na minimização do estresse, além de dicas de alimentação saudável que também podem auxiliar.

 

Amanhã (24/09) haverá a palestra "O estresse relacionado aos profissionais que atuam na área de saúde", a partir das 15h, no auditório do hospital.

 

Aline Morais | Lead 

-- 
farolcomunitario | rede web de informação e cultura
coletivo de imprensa