quarta-feira, 28 de julho de 2010

Lei Federal da Aprendizagem foi tema de palestra na CDL Uberlândia

Programa apoia empresário no cumprimento da Lei do Aprendiz através da formação de pessoas com idade entre 15 e 18 anos 

A Lei Federal da Aprendizagem foi tema de discussão ontem (27), na sala de reuniões da CDL Uberlândia . O auditor fiscal do Ministério do Trabalho, Sebastião Alves da Silva Filho, prestou esclarecimentos sobre a lei n° 10.097/2000, que estabelece a obrigatoriedade da contratação de 5% a 15% de jovens aprendizes do número total de trabalhadores de uma empresa. A iniciativa foi da Câmara de Dirigentes Lojistas de Uberlândia que desde maio de 2009 abre oportunidades para muitos jovens por meio do Programa CDL Aprendiz que visa oferecer qualificação.

De acordo com o auditor Sebastião Alves, a Legislação existe desde 1943, mas só a partir de 2002 se fortaleceu. "A priori a preocupação era com a qualificação dos jovens. Atualmente, a maior sensibilização é com a ascensão social", afirmou Sebastião.

O presidente da CDL, Celso Vilela, disse que as empresas precisam interpretar a Lei como uma oportunidade e não como responsabilidade. "As regras não são complexas. A contratação do jovem aprendiz representa uma economia de 30% . A CDL abre as portas para os associados incluídos no Programa que é subsidiado pela própria entidade", destacou.

Contratar tem sido um desafio. Todo bom empregador busca por funcionários capacitados. Onde procurar? A coordenadora da Fundação CDL, Bânia Poli, ressaltou que oportunidades sem experiência e capacitação não são viáveis. "O Programa CDL Aprendiz vem justamente para ajudar os nossos associados a inserir esses jovens em suas empresas, preparados e qualificados. Uberlândia conta com cerca de 430 jovens trabalhando. Do Programa Jovem Aprendiz, 70 estão inseridos em 40 empresas associadas à entidade", frisou.        

Além dos diretores da CDL, empresários assistiram à palestra. "A Lei é válida porque quanto mais rápido o jovem se inserir no mercado, melhor. Por outro lado, o governo deveria criar um mecanismo que coibisse o pagamento inadequado do Seguro Desemprego. Ele só é um benefício quando o empregado não se adapta ao trabalho. Há muito a avançar e esta palestra é necessária para tirar dúvidas e formar opiniões. Foi uma iniciativa muito válida da entidade", disse o empresário, Laurindo Rodrigues.

Para ajudar os jovens com idade entre 15 e 18 anos a se prepararem para o primeiro emprego, a Fundação CDL cumpre com o objetivo do Projeto CDL Aprendiz. E avança em oferecer aos associados conhecimento sobre o assunto. "Nosso objetivo é oferecer oportunidades de trabalho e capacitação para adolescentes de baixa renda e apoiar o empresário no cumprimento da Lei do Aprendiz através da formação", concluiu Bânia Poli.

São mais de 30 empresas parceiras do Projeto CDL Aprendiz: Autus, Makro, Escandinávia Caminhões, Citrobel, Casas Bahia, Rede Vitoriosa, Valecard, Textil Abril, Laboratório Exame, Laborótica, Multi Imobiliária, Cardoso Moto, Auto Escola Ribeiro, Cornelius Som, CDI, TV Paranaíba, Policard, TIM, PB Kids, Delta Imobiliária, Hospital do Triângulo, Arantes Imobiliária, Cajubá Club, Casa da Borracha, Rep Tec Segurança, Erlan, Caspper Peças Automotivas, Transbittar, Ensel Engenharia, NW Cobranças, Rotina Imobiliária, Zapi Impermeabilizantes, Eletromac, Lojas Oi, Wiki Soluções Tecnológicas, DN Prática, Eltec Engenharia, Estufa de Ouro e Sotreq.

Serifa
--
farolcomunitario | rede web de informação e cultura
coletivo de imprensa | www.coletivodeimprensa.jor.br