sábado, 27 de março de 2010

Semana dos Recursos Hídricos termina com apresentação do VT "Veredas do Brasil"

O último evento da III semana de preservação e conservação dos recursos hídricos foi a apresentação do documentário "Veredas do Brasil", apresentado pelo programa Globo Rural no dia 22 de março de 08, a um público de estudantes técnicos e do ensino médio no plenário Homero Santos na tarde desta sexta-feira (26).

O vídeo foi passado pelo professor de Geografia Mauro das Graças Mendonça e teve como objetivo retratar as nascentes do cerrado localizadas na região central do Brasil, entre os estados de Minas Gerais (região norte), Goiás e Bahia. A matéria mostrou como o Buritis, uma palmeira nativa das Américas Central e do Sul, é vital para o caminho das veredas. A presença dessa palmeira é a constatação da presença de água no sertão e o capítulo inicial do caminho das nascentes.

A exibição do vídeo foi importante também para mostrar um processo de devastação numa vasta plantação de Buritis provocada por queimadas. As imagens mostraram que "uma vereda morta não volta a ser mais o que era antes". Dessa forma, o documentário conseguiu chamar a atenção do público quanto a real e imprescindível necessidade de se cuidar do meio ambiente, e em especial de se conservar as nascentes de água.

O professor Mauro das Graças fez um paralelo da situação das veredas da região norte de Minas com as que se encontram em Uberlândia. São 46 nascentes na cidade, só que estreitas e com impacto maior da urbanização. Mas segundo o professor, os problemas encontrados nas veredas são comuns. "Nós temos problemas (em Uberlândia) ligados à drenagem com essas veredas. Os loteamentos muitas vezes não respeitam as áreas de preservação permanente (APP's), e (também) a questão do escoamento das águas de chuva. E como todos os nossos córregos são construídos em suas nascentes, em suas veredas, então a água pluvial ao desaguar nessas veredas, nesses córregos, vão causar erosão e assoreamento, e a sujeira são levadas para elas", explicou Mendonça.

Em Uberlândia, algumas veredas não existem mais, foram aterradas. Para o professor, para preservar as existentes é necessário que se cumpra a determinação da legislação ambiental que é de preservar as faixas marginais. "A população não tem desconhecimento do grande papel da vereda, muitas vezes para população a vereda é um mato onde 'eu' posso jogar lixo e entulho. Eu acho que pra gente preservar essas veredas, além de fiscalizar, tem que ter um trabalho de educação muito forte (de educação ambiental) ... sistemático, contínuo e sem data para concluir, por todas as gerações", disse.

A estudante técnica de Meio Ambiente Ângela das Graças Côrtes, conta que chegou a visitar algumas nascentes na cidade e se surpreendeu com a construção de um empreendimento novo por parte uma faculdade privada que não respeitou a área de preservação às margens do córrego do Vinhedo. "Tem que ter preservação de 50 metros (das margens das veredas) para manter essa vegetação … Como empreendimento recente, já tinha que ter essa conscientização", relatou a estudante. Ela acredita que uma fiscalização preventiva seria o ideal para impedir construções dentro das áreas de preservação dos córregos.

Um grupo de alunos da Escola Estadual Messias Pedreiro fez a entrega de um documento ao presidente da Câmara Municipal, vereador Hélio Ferraz (PP), no qual pede o tombamento das margens do Rio Uberabinha. "Nós vamos daqui a uma semana receber o representante da ANA e eles queriam realmente que esse documento chegasse até as mãos desse representante para que ele tomasse consciência que alguma coisa tem que ser feita", disse a professa de geografia da escola, Elaine de Cássia Cardoso.

Mapa hidrográfico de Uberlândia

A diretora de desenvolvimento ambiental da secretaria municipal de Meio Ambiente, Sandra Borges Pereira, aproveitou o momento para anunciar a confecção de 200 mapas da hidrografia de Uberlândia que serão entregues às escolas, ONG's e instituições interessadas nas questões urbanas da cidade .

No mapa irão conter as informações sobre localização dos córregos no município, áreas verdes, estações de tratamento de esgoto e outros aspectos ambientais presentes em Uberlândia. "A secretaria viu a importância de se criar um mapa retratando as questões do município, da cidade, onde a gente reside, com os nossos benefícios ambientais, nós estamos num local onde a carga hídrica é muito grande e os nossos problemas também, como uma forma de chamar a comunidade para participar da elaboração de estratégias para solução dos problemas e chamar a comunidade para responsabilidade de preservação dos recursos naturais".

Concurso de fotografia "Natureza bela e impactos ambientais"

A parceria entre a Câmara Municipal Uberlândia e a Secretaria Municipal de Meio Ambiente na realização da III Semana de Preservação e Conservação dos Recursos Hídricos resultou no lançamento de um concurso de fotografia com o tema "Natureza bela e impactos ambientais". A proposta, segundo a diretora de desenvolvimento ambiental da secretaria municipal de Meio Ambiente, Sandra Borges Pereira, é premiar as três primeiras fotos mais adequadas ao tema nas categorias de fotógrafos amador e profissional.

As inscrições terão início no dia 12 de abril e vão até o dia 12 de maio na secretaria de Meio Ambiente. O concurso finalizará na Semana de Meio Ambiente programada para o mês de junho, onde as fotos serão apresentadas para a comunidade. Os ganhadores deverão concordar com a impressão das fotos nos cadernos dos kits escolares que são entregues as crianças da rede municipal de ensino.

Balanço da III Semana de Preservação e Conservação dos Recursos Hídricos

O presidente da Câmara Municipal de Uberlândia, vereador Hélio Ferraz (PP), classificou a confecção do mapa hidrográfico e a entrega desse material para a comunidade interessada como um resultado satisfatório da III Semana de Preservação e Conservação dos Recursos Hídricos. Além disso, ele acredita que o evento conseguiu atingir o objetivo de conscientização e educação ambiental.

 
"Nós vimos aqui um compromisso não somente de nós, estudantes, agentes políticos, técnicos ambientais, nós vimos um comprometimento da sociedade, de empresários, da iniciativa privada. Essa semana não foi somente apresentação de projetos, oficinas, mas também foi um momento de adeptos, de pessoas acreditarem que o poder legislativo tem essa potencialidade junto com o poder executivo, de nós podermos orientarmos toda a cidade e encaminharmos soluções, … darmos uma resposta que o meio ambiente pode ser útil, pode conviver muito bem o homem e a natureza", concluiu o presidente. 
 
Emiliza Didier / Foto:Pedro Reis
Departamento de Comunicação
Câmara Municipal de Uberlândia
--
farolcomunitario | rede web de informação e cultura