sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

CCZ realizou mais de 1,5 milhão de ações em 2009

 Na próxima semana, dia 16, faz um ano que o Centro de Controle de Zoonoses passou por reformas e ampliação. Para dar melhores condições de trabalho aos funcionários e agilidade no atendimento, foram construídas novas salas, almoxarifados, sala de reuniões, estacionamento coberto e refeitório, além da ampliação de todos os setores do CCZ. "Toda estrutura do Centro foi modificada. Os novos espaços facilitaram o trabalho dos funcionários e dos coordenadores. Minha determinação é dar condições dignas de trabalho para esses servidores, que fazem um trabalho tão importante para a cidade de Uberlândia", destacou o prefeito Odelmo Leão.


E não foi apenas a mudança na estrutura da Zoonoses que marcou o ano. Em 2009, o CCZ realizou 1.681.204 ações. "A população está conhecendo cada vez mais o trabalho da Zoonoses, e por isso, utilizando mais os nossos serviços. Isso pra nós é muito gratificante", ressaltou o coordenador do CCZ, Adalberto Pajuaba.


O Centro de Controle de Zoonoses desenvolve vários programas simultaneamente. Controle de agravos; combate à dengue; controle de roedores; controle da raiva animal; controle de animais peçonhentos; e controle de morcegos.

 

Combate à Dengue

 

Em 2009, o programa de Combate à Dengue realizou 1.543.755 atendimentos em Uberlândia. Imóveis e terrenos baldios da cidade foram visitados pelos agentes. "Durante as visitas, informamos à população sobre os cuidados que devem ser tomados. Recolhemos materiais que pudessem acumular água, dentre outras ações. Esse trabalho tem dado resultados, tanto é que estamos conseguindo manter o índice de infestação controlado na cidade", explicou o coordenador do CCZ.


A vedação de caixas de água com pedra ardósia e a parceria com as borracharias e imobiliárias também foram importantes. "Conseguimos visitar os imóveis que estão fechados para aluguel e hoje temos um das melhores coletas de pneus do país", explicou Pajuaba.


Além disso, foi feito o recadastramento dos ferros velhos. A cada 15 dias é feita uma visita para a aplicação de larvicida e adulticida (veneno usado para matar a larva e o mosquito Aedes aegypti).

 

Controle de Agravos

 

Os funcionários do Centro de Controle de Zoonoses fazem plantão 24 horas por dia, para atender solicitações referentes a Abelhas e Marimbondos. "Sempre que algum morador nos liga dizendo que encontrou uma caixa de abelha ou marimbondo, mandamos uma equipe até o local, para evitar que acidentes aconteçam", disse Pajuaba.


Além disso, é feito o controle de pulgas, carrapatos e piolho durante o horário comercial. "Só em 2009, atendemos a 3.454 solicitações. Fizemos o controle químico de abelhas, marimbondos, carrapatos, piolhos e pulgas em toda a cidade", explicou o coordenador.


Pajuaba ressaltou ainda que os moradores não devem tentar tirar caixas de abelhas e marimbondos. "Nossos profissionais são treinados para realizar esse trabalho. Às vezes uma picada em uma pessoa alérgica, pode trazer complicações de saúde", alertou.

 

Laboratório de Sorologia e Entomologia

 

O laboratório analisou milhares de amostras em 2009. Parte delas, exames de malária. "Aqui em Uberlândia não temos a doença, mas por aqui passam diariamente centenas de pessoas de outros estados e países. Estamos de plantão 24 horas por dia para colhermos amostras das pessoas que apresentam os sintomas da doença e posteriormente, liberamos a medicação, que também é armazenada aqui", esclareceu.


No ano passado, aumentaram as coletas de material para exame de Leishmaniose em Uberlândia. "Tivemos alguns casos de cachorros infectados na cidade, e por isso, intensificamos a coleta nas regiões de risco. Fizemos os inquéritos caninos principalmente na região do bairro Ipanema e Mansões Aeroporto", disse o coordenador.


O laboratório de sorologia e entomologia também realiza periodicamente o exame nos agentes do programa de Combate à Dengue. "Todos os funcionários que têm contato com venenos, passam por exames de colinesterase, para saber se há ou não intoxicação pelo veneno", esclareceu Pajuaba.

 

Controle de roedores

 

Sempre que um morador notifica o CCZ sobre infestação de roedores, uma equipe é mandada até o local para avaliar a situação. "Damos as orientações de como evitar que esses animais entrem nessas casas. Em alguns casos, fazemos a aplicação do veneno", destacou o coordenador.


O programa funciona durante o horário comercial e as solicitações devem ser feitas diretamente no Centro de Controle de Zoonoses, pelo telefone 3213-1470.

 

Controle da raiva animal

 

Em 2009, foi realizada a 27ª edição da Campanha Vacinação Anti-rábica Animal, que superou a expectativa do CCZ. Durante toda a Campanha foram vacinados 70.105 animais. A meta era vacinar 69 mil. "Esse é o programa mais antigo da Zoonoses, e graças a ele, completamos em 2010, 23 anos sem um caso de raiva animal. Além da vacinação, fizemos mais 22.837 atendimentos no ano passado", explicou Adalberto Pajuaba.


Quem quiser vacinar seu animal de estimação pode ir até o Centro de Controle de Zoonoses, de segunda à sexta-feira, das 7h às 18h. "A raiva é uma doença fatal e a única forma de prevenção é a vacina", alertou o coordenador.

 

Controle de animais peçonhentos

 

Sempre que acionado, o Controle de Animais Peçonhentos realiza visitas de orientação e captura de escorpiões, serpentes e aranhas. "Durante essas visitas fazemos busca ativa nas casas vizinhas para ver se existem outros animais, que podem colocar em risco a vida da população", disse o coordenador.


Em 2009, foram 8.281 atendimentos. A maioria, orientação e controle de escorpiões. "É importante lembrar que até o momento não existe nenhum veneno comprovadamente eficaz contra este animal. A equipe também promove busca ativa de escorpiões dentro e fora das casas. O manejo de serpentes e aranhas também é atribuição do Laboratório", explicou Adalberto Pajuaba.

 

Controle de Morcegos


É o programa responsável pelo controle da população de morcegos hematófagos e o manejo. Os agentes dão orientações à população. "Quando somos acionados, capturamos os morcegos e fazemos a necropsia para saber se eles estão infectados com o vírus da raiva", destacou Pajuaba.


Geralmente, os fazendeiros procuram o CCZ, quando percebem que seus rebanhos estão com marcas de mordidas dos morcegos. "A equipe vai até o local e tenta identificar onde estão as colônias desses morcegos. Na maioria das vezes, a captura é feita na lua nova, pois as noites são mais escuras", disse.


No ano de 2009, foram 1.079 atendimentos na área rural e na área urbana de Uberlândia.

 

 

Bem estar dos servidores

 

Foi em 2009 também, que uma assistente social foi contratada pelo Centro de Controle de Zoonoses. "Fizemos isso pensando no bem estar dos nossos funcionários. Ela está aqui todos os dias no CCZ, ajudando os profissionais a solucionar os problemas pessoais e profissionais", comentou o coordenador.

 

Meta para 2010

 

Para 2010, o Centro de Controle de Zoonoses pretende renovar parte da frota de veículos. "O secretário de Saúde, Gladstone Rodrigues da Cunha, sugeriu que a cada ano fosse renovada pelo menos 20% da frota do CCZ", destacou.


De acordo com Adalberto Pajuaba, a renovação da frota vai diminuir o custo de manutenção dos veículos do CCZ. "Cada veículo do Centro de Controle de Zoonoses anda em média 150 quilômetros por dia. Com isso, o desgaste é inevitável", concluiu o coordenador.

 

Rafael Guimarães

Secom PMU

--
farolcomunitario | rede web de informação e cultura