segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Escolas municipais resgatam antigas brincadeiras de criança


Foto: Daniel Nunes / Secom PMU



Brincadeiras como pega-pega, corre-cutia, pula corda, ciranda cirandinha, pula corda e cantigas de roda fazem parte do dia-a-dia de alunos de 56 escolas da rede municipal. O projeto "O Brincar" começou a ser desenvolvido em 2007. "Aprender brincando é a melhor forma de promover a socialização e trabalhar a imaginação de alunos de 1 a 5 anos", afirmou a pedagoga Michele Cristina Moura da Unidade de Desenvolvimento Infantil (UDI).
As brincadeiras antigas desenvolvem a criatividade e incentivam a prática da atividade física. "Depois que adotamos o projeto, os alunos melhoraram a coordenação motora, a concentração, a atenção, o lúdico, o equilíbrio, a linguagem oral, a imaginação e aprenderam a respeitar regras que influenciam no desenvolvimento das questões efetivas, cognitivas, culturais e físicas. O projeto deu às crianças a chance de ter uma infância completa e se desenvolver", comentou Michele Cristina.
Durante as atividades, as crianças soltam à imaginação na praça, na quadra de futebol, no parque infantil e na casinha de boneca. De acordo com a pedagoga são formados grupos de 12 alunos, em sistema de rodízio, para que todos participem e não se cansem das atividades. 
Emanuelle Gomes Andrade da Unidade de Desenvolvimento Infantil (UDI) Cruzeiro do Sul, de três anos mostra como a imaginação é aguçada. "Eu brinco de casinha. Sou a filhinha da mamãe. Tem o papai e a mamãe e os irmãozinhos. É uma brincadeira de casinha, onde eu invento e faço tudo que quero".
Lara Moraes Nogueira de seis anos não se intimida em dizer que é boa na corrida e diz qual é a atividade que mais gosta. "A hora mais legal é quando a gente brinca de pega-pega. Eu corro muito e me divirto com meus amiguinhos", contou. 
Além dos alunos e professores, os pais também aprovaram o projeto. "Mostramos aos pais a importância que a brincadeira tem na vida e no desenvolvimento dos pequenos. Eles entenderam que a creche não tem apenas a função de cuidar, dar banho, lanche, mas de implantar projetos que façam parte do processo de aprendizagem deles. É uma forma divertida de ensinar e formar os cidadãos para o futuro", ressaltou a coordenadora da Udi Cruzeiro do Sul, Cristina Guerra Siqueroli.        

Alitéia Milagre
Secom PMU


--
farolcomunitario | rede web de informação e cultura