terça-feira, 4 de agosto de 2009

Uso de cigarro e álcool aumenta problemas nos ossos

Quando associados, estes vícios diminuem 45% a resistência óssea

 

Para quem ainda não se convenceu do mal que o cigarro e bebidas alcoólicas fazem à saúde, uma nova descoberta do Instituto de Biologia da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) pode ser decisiva. A pesquisa confirma o fato de uma pessoa que fuma e bebe ter resistência óssea 45% menor do que a de alguém sem esses vícios. A baixa resistência dos ossos também retarda a recuperação em casos de cirurgias e tratamentos médicos.

 

Para o membro da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia – SBOT, Vicente Carlos Franco Macedo essa fragilidade é causada pela diminuição na concentração de cálcio nestes casos. "Além do consumo do fumo e álcool, normalmente essas pessoas não praticam esportes, dormem e se alimentam mal. Este comportamento prejudica a qualidade óssea", explica.

 

Problemas

 

Entre os principais problemas que podem afetar este grupo de pessoas, o ortopedista destaca as doenças de longo prazo como o diabetes, derrames, infartos do miocárdio e osteoporose. "Em pacientes que apresentam estas patologias a qualidade de vida cai muito, principalmente após os 50 anos. No caso da osteoporose, aumentam a possibilidade de fraturas com mínimo de impacto ou quedas em casa e ainda a possibilidade de serem submetidos à amputação de membros devido ao tromboembolismo (trombose venosa) decorrente do cigarro", alerta.

 

Segundo o médico, a baixa resistência dos ossos também dificulta os resultados em casos de cirurgias e tratamentos médicos. "São pacientes difíceis com recuperação complicada e lenta. Pois o fumo retarda a cicatrização afetando toda cadeia inflamatória e não deixa as células de defesa eliminar as células cancerígenas. Enfim, o vício é um sério problema de saúde pública", expõe o médico do Triângulo Mineiro.

 

Cálcio

 

O cálcio é um componente mineral essencial para os ossos, incluindo os dentes. Ainda atua na modulação de algumas proteínas e é um dos responsáveis pelas contrações musculares. "A presença dele no organismo, e o seu estoque que é armazenado nos ossos, dependem completamente da alimentação. Assim, uma dieta balanceada contribui para o bom funcionamento corporal. Já uma alimentação desequilibrada poderá favorecer o aparecimento de doenças", apresenta Ludmila Milken, nutricionista clínica do Santa Genoveva Complexo Hospitalar.

 

"Este nutriente é importante em todas as faixas etárias. Porém, dos 9 aos 18 anos e após os 50, o corpo requer maior quantidade para favorecer a manutenção da estrutura óssea e evitar patologias resultantes da falta de cálcio", justifica a nutricionista.

Quantidade de cálcio encontrada a cada 100 gramas/ml dos alimentos:

 

Alimento

Quantidade (mg)

Queijo Minas

685

Manjuba

530

Amêndoa

497

Gergelim

417

Sardinha

402

Flor crua de brócolis

400

Aveia

392

Corvina

330

Couve manteiga

300

Avelã

287

Iogurte natural desnatado

183

Castanha do Pará

172

Agrião

168

Espinafre cozido

136

Leite desnatado

123

Soja

102

 

 

Lead Comunicação
www.leadcomunicacao.com.br


--
farolcomunitario | rede web de informação e cultura