sexta-feira, 31 de julho de 2009

Governo prioriza segurança do trabalhador da construção

BELO HORIZONTE (31/07/09) – Óculos de proteção, protetor auricular, botas, luvas e capacete. O uso dos equipamentos de proteção individual (EPI) pode salvar vidas, especialmente quando o assunto é construção civil. Estimativa do Ministério do Trabalho e Emprego mostra que a cada grupo de 100 mil trabalhadores da construção civil, 26% sofrem acidente de trabalho. Pensando na segurança do trabalhador, o Governo de Minas , por meio do Projeto Usina do Trabalho, investe na qualificação e conscientização de trabalhadores nesse setor.

Todos os profissionais formados pelo projeto na área da construção civil receberam o kit de equipamentos de proteção individual. Além disso, dois módulos das aulas teóricas são destinados às questões de segurança do trabalho. Cerca de 3.500 trabalhadores concluíram o curso no setor da construção civil oferecidos pelo Usina do Trabalho. 

De acordo com a Previdência Social, cerca de três mil trabalhadores morrem vítimas de acidente de trabalho por ano no Brasil, a maioria em acidentes na construção civil. 

Para o 
secretário de Estado de Desenvolvimento Social, Agostinho Patrús Filho, os cursos do Usina do Trabalho preparam os profissionais da construção tanto para o trabalho em grandes empresas quanto para serviços autônomos. "Nas obras de pequeno porte, como reforma de casas, é comum ver os trabalhadores da construção civil sem os equipamentos de segurança. E, muitas vezes, são nessas pequenas obras que ocorrem os acidentes. Por isso, o Governo de Minas oferece equipamentos e prioriza as questões de segurança durante os cursos", ressaltou. 

Próximos cursos 

Novas vagas no curso do setor da construção civil serão oferecidas neste semestre pelo Usina. Os trabalhadores precisam ficar atentos e procurar os postos do 
Sine , quando começar o processo de inscrição. Todos os cursos são gratuitos e os trabalhadores vão receber os equipamentos de segurança. 

Criado em 2008, o projeto Usina do Trabalho, coordenado pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese), tem o objetivo de melhorar a qualidade de vida de comunidades carentes e inserir pessoas desempregadas no mercado de trabalho. 

Os trabalhadores cadastrados nas unidades do Sine em todo estado podem ser encaminhados para cursos de qualificação que preparam profissionais de nível básico. O investimento para este ano é de R$ 10 milhões. Até agora, aproximadamente 4.500 trabalhadores foram qualificados em 45 municípios. 

Em 2008, o Governo de Minas investiu R$ 10 milhões no projeto Usina do Trabalho e cerca de 16 mil vagas foram oferecidas em 80 municípios de Minas Gerais. Todos os cursos do Usina são elaborados com base em demandas prévias das empresas, o que aumenta as chances de inserção do trabalhador no mercado de trabalho.

--
farolcomunitario | rede web de informação e cultura