quarta-feira, 15 de julho de 2009

Construção Civil: Assembléia pode decidir por greve geral

Uberlândia / MG (15/07/2009) – A ausência de um acordo salarial com a classe patronal levou o Sinticom-TAP – Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Civil e do Mobiliário de Uberlândia, Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba – a realizar uma assembléia geral extraordinária de seus associados e não associados trabalhadores nas indústrias da construção civil em geral, na sua base territorial.


A Assembléia Geral Extraordinária poderá deliberar pela realização de greve geral da categoria.


A convocação da assembléia ficou acertada na reunião de conciliação, realizada, na quarta-feira, 8, na Procuradoria Regional do Trabalho da 3ª Região, em Uberlândia, entre o Sinticom – TAP – Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Civil e do Mobiliário de Uberlândia, Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba -, e o Sinduscom – TAP – Sindicato das Indústrias da Construção Cível de Uberlândia, Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba -, em busca de um acordo para o reajuste salarial da categoria trabalhadora.

A reunião foi mediada pela procuradora do trabalho, Emilie Margret Henriques Netto, com as presenças dos presidentes das duas entidades sindicais, Reinaldo Rosa de Sousa, do Sinticom-TAP, e Paulo Roberto Achcar Resende Ribeiro, do Sinduscon-TAP, bem como dos advogados classistas, José Carlos Custódio de Moura e Juliano Gomes Oliveira Batista, respectivamente do Sinticom-TAP e Sinduscon-TAP.


No entanto, não houve acordo, uma vez que os patrões se mostraram irredutíveis quanto ao reajuste. Na ocasião, foi apresentado "uma tabela com diferentes índices de aumento proposta pelo Sindicato requerido – Sinduscon-TAP –". O Sinticom-TAP concorda com os índices apresentados "exceto o de 6,5% previsto para mestre de obras, administrativos e etc. Sugeriu que o aumento fosse de, no mínimo, 8,62% para estes trabalhadores".

O Sinduscon-TAP alegou que "não pode elevar o índice de 6,5% para 8,62%, pois os índices apresentados foram os aprovados em assembléia, com base no impacto econômico que acarretará na folha".


Ante a esse impasse, o Sinticom-TAP convocou Assembléia Geral Extraordinária para o próximo dia 24, às 17h, no salão de reunião da sede social do sindicato, na avenida Engenheiro Diniz, 169, segundo piso bairro Bom Jesus, em Uberlândia.


Na pauta da Assembléia estão: a reunião de conciliação realizada no dia 8; a proposta patronal; e aprovação da deflagração de greve geral da categoria.

A base territorial do Sinticom-TAP abrange: Abadia dos Dourados, Araguari, Araporã, Canápolis, Carneirinho, Centralina, Cascalho Rico, Douradoquara, Estrela do Sul, Fronteira, Frutal, Grupiara, Indianópolis, Irai de Minas, Itapagipe, Iturama, Limeira do Oeste, Monte Alegre de Minas, Nova Ponte, Perdizes, Pedrinópolis, Romaria, Santa Juliana, Tupaciguara, União de Minas e Uberlândia e distritos..

 

Serviço:

O que: Assembléia Geral Extraordinária de Associados e Não Associados do Sinticom-TAP

Público: Associados e Não Associados do Sinticom-TAP, trabalhadores nas Indústrias da Construção Civil em Geral, na sua base territorial

Quando: 24/julho/2009

Onde: Sede Social do Sinticom-TAP, Av. Engenheiro Diniz, 169 – B. Bom Jesus – Uberlândia

Horário: 17h


Alaor Barbosa Jr.

Ascom Sinticom-TAP


--
farolcomunitario | rede web de informação e cultura