terça-feira, 23 de junho de 2009

Onça-pintada já está no zoológico do Parque do Sabiá

             O animal chegou a Uberlândia no início da noite desta terça-feira (23). Foi trazido por representantes do Centro Estadual de Unidades de Conservação de Manaus e da ONG Não Extinção – NEX, de Brasília. De acordo com Elisete de Araújo Naves, veterinária do Parque do Sabiá, a onça-pintada passará por exames, entre eles de sangue, fezes, unhas e dentes. Em seguida, a nova moradora do zoológico ficará em regime de quarentena. O comportamento do animal será observado entre 30 e 60 dias. Após, será colocado no setor aberto à visitação pública.

            A onça foi resgatada em uma comunidade ribeirinha na Reserva de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá, no estado do Amazonas. O animal tem cinco anos de idade e foi enviado pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). "Ela foi resgatada em situação precária e está abaixo do peso normal", disse o chefe de Unidades de Conservação Paulo Correa, do Centro Estadual de Unidades de Conservação de Manaus.

            Segundo Elisete Naves por enquanto, a onça ficará sozinha, mas já foi solicitado um casal ao Ibama, de Belo Horizonte. "Não tínhamos uma onça-pintada desde 2006, quando morreu a última do zoológico, com mais de 25 anos de cativeiro", disse. Para recebê-la, foi providenciada a adequação do local, com limpeza e colocação de novos troncos, entre outros reparos. Ainda de acordo com a veterinária, o felino passou por Manaus e Brasília, antes de ser enviado para Uberlândia.

            Segundo o jornal O Estado de São Paulo, do dia 4 de junho, a onça estava ameaçada pelas cheias da região amazônica e foi "capturada e criada, desde filhote, em uma pequena jaula de madeira por um morador da comunidade Bate Papo, na Reserva de Marimauá". O jornal menciona ainda que o criador da onça morreu e em agosto de 2008 ela foi entregue ao Ibama.

            Para Cristina Gianni, presidente da ONG NEX, o sofrimento da onça deve servir de alerta. "Este animal é um símbolo para que as pessoas não queiram criar um felino como este como animal de estimação", declarou.

 

Marden Rangel

Secom PMU




--
http://www.farolcomunitario.com.br
rede web de informação e cultura